domingo

Deus mentiu?

Ardor,
É o que sinto.
Lembranças de um fogo
que hoje sei de monturo,
me vedava os olhos
e não me dava o vislumbre
de cada dia esquecido.
Cada momento roubado.
Triste, não é quem passa ao largo
num amor solitário, mas ansioso por estar vivo.
Triste, é não ver no presente, um futuro a ser vivido
...é ser “gauche” do “gauche”, um trilhar mal percorrido.
Triste, é achar que a vida se escondeu,
que o destino nunca foi seu,
triste é achar que Deus mentiu!


Agora clique e escute o autor:


Esse texto pertence à obra “A Centaura e a Esfinge” protegida por direitos autorais sob nº 340454/EDA – Fundação Biblioteca Nacional.

2 comentários:

Mariah disse...

Poeta e Autor,
Aprendi contigo,na minha tenra adolescência, que Deus não erra jamais.
Aprendi num dia de revolta, que Deus não mente !
Quando "achei" que mentiras de levinho, falando que lançarias um livro, não quiz acreditar...
"Deus mentiu ?" Não .
Ele me falou a mais pura verdade através de ti , por diversas vêzes.
Obrigada,
Selia Mariá Cipiniuk.

Valdeci Paula disse...

Ler trechos desta obra impar, causa a espectativa da publicação, que certamente será um sucesso.

Parabéns Carrano!